AS CONFERÊNCIAS ODONTOLÓGICAS DO REINO UNIDO TÊM UM DESEQUILÍBRIO DE GÊNERO.

AS CONFERÊNCIAS ODONTOLÓGICAS DO REINO UNIDO TÊM UM DESEQUILÍBRIO DE GÊNERO.

Por:

Kevin O’Brien
Professor Emérito de Ortodontia, University of Manchester, Reino Unido.

Este artigo analisou o desequilíbrio de gênero dos palestrantes nas principais conferências odontológicas do Reino Unido. Achei os resultados um tanto preocupantes e relevantes para as conferências de ortodontia.

No Reino Unido, 50% dos registrantes são mulheres. Como resultado, esperaríamos uma representação igual dos gêneros nas conferências odontológicas. Os autores deste artigo destacam que alcançar um equilíbrio de gênero é essencial. Isso porque, além de nos fornecer pesquisas e informações clínicas, as conferências também oferecem oportunidades de modelagem e orientação. Significativamente, falar em conferências deve influenciar a progressão na carreira e as percepções dos papéis de liderança.

Eles também apontam que o desequilíbrio de gênero nas conferências médicas tem sido reconhecido. No entanto, isso pode estar melhorando lentamente. No entanto, sabemos pouco sobre o equilíbrio de gênero dos palestrantes de conferências odontológicas no Reino Unido.
Uma equipe de Leeds e Liverpool, no norte da Inglaterra, fez este estudo. O British Dental Journal publicou o artigo.

Falando pelo equilíbrio: análise do gênero de palestrantes convidados em conferências odontológicas no Reino Unido

Claudia Heggie, Sarah L. McKernon e Laura Gartshore

British Dental Journal: Online:  https://doi.org/10.1038/s41415-021-3072-2

O que eles perguntaram?

“Descubra o equilíbrio de gênero de palestrantes convidados em conferências odontológicas no Reino Unido em 2018 e 2019”.

O que eles fizeram?
Eles fizeram uma pesquisa transversal dos programas da conferência usando as seguintes etapas:

Em primeiro lugar, eles abordaram 14 sociedades dentais e pediram-lhes os seus programas de conferências. Se uma organização não forneceu essas informações, eles pesquisaram o domínio público.

Os autores então extraíram esses dados dos principais palestrantes:

  • O gênero deles
  • Duração da apresentação
  • Papel profissional
  • Gênero dos membros do painel e presidentes de sessão.
  • Eles definiram um equilíbrio aceitável como sendo 40-60% falantes do sexo feminino.

Finalmente, eles obtiveram o relatório do General Dental Council para 2020 e obtiveram dados sobre a distribuição total da força de trabalho por gênero para todos os dentistas registrados e dentro de cada especialidade odontológica.

O que eles encontraram?
Os autores constataram que 50,4% dos dentistas se identificaram como mulheres e 49,6% como homens.

Eles obtiveram dados sobre 352 palestrantes convidados. Eles identificaram 39,8% como mulheres e 60,2% como homens.

  • Apenas 3 (21,4%) das conferências foram equilibradas em termos de gênero (40-60% do sexo feminino).
  • Em 3 (21,4%), os falantes do sexo feminino superaram o do sexo masculino.
  • Para 55,1% (n = 8), os homens superaram os falantes do sexo feminino.
    As conferências com maior número de oradoras do sexo feminino foram medicina oral (66%) e odontologia especial (61,9%).

O menor foi a Ortodontia (19%) e a Periodontia (18,4%).

A conferência da British Dental Association não foi equilibrada, com 63% dos palestrantes sendo do sexo masculino.

Importante, quando eles olharam para a duração das apresentações. A duração média para falantes do sexo feminino foi de 31 minutos, e para os do sexo masculino, de 40 minutos.

Suas conclusões foram

“O desequilíbrio de gênero existe em palestrantes convidados a apresentar em conferências odontológicas recentes. Os organizadores da conferência são encorajados a trabalhar proativamente para um programa mais representativo ”.

O que eu achei?
Essas descobertas foram preocupantes. No entanto, de muitas maneiras, eles refletiram a situação da medicina. Também postei resultados semelhantes em um pequeno estudo que publiquei noeste blog no ano passado.

Achei que a metodologia deles era sólida e forneceu um nível razoável de evidência sobre o assunto. Portanto, devemos levar as descobertas a sério.

Os autores discutiram suas descobertas, ressaltando que reconhecem que organizar uma conferência é uma tarefa complexa. No entanto, não faz sentido que o gênero deva impactar o conteúdo da conferência. Em vez disso, abordar esta questão deve envolver os organizadores da conferência ativamente aumentando a conscientização e fornecendo uma plataforma para palestrantes do sexo feminino. Apoio fortemente esta afirmação.

A título pessoal, fui presidente de várias conferências ortodônticas importantes. O maior com o qual estive envolvido foi a Conferência Mundial de Ortodôntica em 2015. Receio dizer que este programa não foi equilibrado. Por exemplo, nem mesmo consideramos o gênero quando estávamos montando o programa. Já pensei nesse processo e não posso deixar de sentir que, quando uma conferência monta seu programa, tende a questionar os “suspeitos de sempre”. Estes são oradores frequentes que são do sexo masculino, falam em outras reuniões e, portanto, a roda continua girando.

Comentários finais
Mudamos nossa abordagem na British Orthodontic Conference este ano. Pedimos às pessoas que sugerissem mulheres palestrantes. Como resultado, isso aumentou nosso pool de alto-falantes em potencial. Fiquei satisfeito em ver que isso resultou em uma conferência com equilíbrio de gênero para os palestrantes convidados. Isso deu um pouco mais de trabalho, mas o feedback de nossa reunião foi ótimo.

Esta postagem foi publicada originalmente no Equilibre os conselhos odontológicos local na rede Internet. Se você quiser saber mais sobre esta campanha, dê uma olhada no site e participe de nosso Grupo do Facebook.

Fiocruz aponta que o Paraná está fora da zona de alerta da Covid-19

Fiocruz aponta que o Paraná está fora da zona de alerta da Covid-19

O Boletim do Observatório da Covid-19 da Fiocruz, divulgado nesta quinta-feira (21) é referente a semana dos dias 10 a 16 de outubro e mostrou uma queda acentuada na transmissão do vírus Sars-Cov-2 em quase todos os estados brasileiros.

Os dados levam em conta a taxa de transmissão e a ocupação dos leitos de UTI exclusivos para pacientes adultos da Covid-19.

No caso dos leitos, excetuando o Distrito Federal, que está na zona de alerta crítico (80%) e o Espírito Santo na zona de alerta intermediário (71%), os demais vinte e cinco estados estão fora da zona de alerta.

No Paraná, por exemplo, a taxa de ocupação dos leitos estava, na semana pesquisada, em 41%.

Já em relação as capitais brasileiras, Curitiba também está fora da zona de alerta, com ocupação de 42% dos leitos exclusivos para Covid-19.

No entanto, o levantamento faz uma ressalva em relação a falhas no fluxo de informações de dados pelo e-SUS e Sivep-Gripe, mantidos pelo Governo Federal que sofrem com oscilações na disponibilização de registros de casos e mortes causadas pela doença em todo o país.

Por outro lado, os pesquisadores da Fiocruz apontam que a campanha de vacinação está atingindo um dos seus principais objetivos, qual seja, a redução do impacto da doença, produzindo menos mortes e casos graves, no entanto, sem o bloqueio da transmissão da doença.

Além disso, a evolução do número de óbitos mostra que houve uma redução da mortalidade a partir de abril de 2021 e que essa tendência se intensificou nos meses seguintes, com a consolidação da campanha de vacinação a partir de maio, quando se completaram as segundas doses de vacina, principalmente em grupos mais vulneráveis, como idosos e portadores de doenças crônicas.

Os pesquisadores ressaltam que a manutenção do atual patamar de transmissão não permite afirmar que a pandemia está definitivamente controlada e que a impressão de que já vencemos a pandemia é enganosa, sendo fundamental, nesse momento, continuar vigilante em relação à Covid-19.

Ainda segundo os pesquisadores, a flexibilização de medidas que protegem contra a transmissão do vírus deve ser adotada de forma cautelosa, paulatina e acompanhada de medidas de vigilância, para identificar rapidamente novos casos e seus contatos.

A recomendação é de que, enquanto caminhamos para um patamar ideal de cobertura vacinal, medidas de distanciamento físico, uso de máscaras e higienização das mãos sejam mantidas e que a realização de atividades que representem maior concentração e aglomeração de pessoas só sejam realizadas com comprovante de vacinação.

Fonte: Por William Bittar / Sexta-Feira, 22/10/2021, 8h01 / CBN CURITIBA

Curitiba permite eventos com capacidade máxima de 50% do local, com limite de 1 mil pessoas

Curitiba permite eventos com capacidade máxima de 50% do local, com limite de 1 mil pessoas

Novo decreto foi publicado na última quarta-feira (15); prefeitura mantém a bandeira amarela na cidade até 6 de outubro.

A Prefeitura de Curitiba publicou na tarde da quarta-feira (15) um decreto com novas medidas restritivas de combate à Covid-19. Entre as determinações, está a liberação para realização de eventos em casa de festas e recepções, com capacidade de ocupação de 50% do previsto para o local, desde que o número não exceda o limite de 1 mil pessoas.

Contudo, continua proibida a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.

A administração municipal informou que mantém a bandeira amarela na cidade até 6 de outubro.

O decreto também libera eventos corporativos com mais de 300 pessoas, desde que seja observada a ocupação de até 50% do previsto para o local, com acesso restrito de pessoas com teste negativo PCR ou de antígeno para Covid-19 realizado até 48 horas antes da data do início do evento.

A prefeitura permite, ainda, nos teatros, apresentação musical ou teatral, observada a ocupação de 70%, sendo proibida a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.

Confira as principais determinações

Atividades suspensas:

  • estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;
  • consumo local nas tabacarias;
  • consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato;
  • saunas em geral, independentemente do local em que estiverem instaladas;
  • pistas de dança.

Atividades liberadas com restrição de capacidade de ocupação limitada a 50% do previsto para o local e protocolos sanitários:

  • atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;
  • atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;
  • academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;
  • restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;
  • nos restaurantes, lanchonetes e bares, deve ser observado o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as mesas, em todas as direções, sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.
  • lojas de conveniência em postos de combustíveis;
  • comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;
  • mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;
  • feiras livres;
  • parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos com o distanciamento mínimo de um metro e meio entre os usuários, em todas as direções, realizada a assepsia após o uso por cada pessoa ou grupo de pessoas, vedado o funcionamento de piscina de bolinhas;
  • feiras de artesanato, cinemas, museus e circos;
  • mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;
  • as igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução nº 705, de 30 de julho de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;
  • casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, e salões de festas em clubes sociais e condomínios: autorizado até 1 mil convidados, desde que seja observada a ocupação de 50% da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB), sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento;
  • eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios: observada a ocupação de 50% da capacidade de público prevista no CLCB, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus Sars-Cov-2 coletado em até 48 horas antes da data do início do evento.

Atividades liberadas com restrição de capacidade de ocupação limitada a 70% do previsto para o local e protocolos sanitários:

  • hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% da capacidade de público;
  • teatros: sendo permitida apresentação musical ou teatral, observada a ocupação de 70% da capacidade de público prevista no CLCB, sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.

Outras atividades liberadas com protocolos:

  • nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;
  • transporte coletivo, condicionado a cumprimento de protocolo específico.
  • eventos esportivos com público externo: autorizado até 5 mil participantes, desde que seja observada a ocupação de 20% da capacidade de público prevista no CLCB, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus Sars-Cov-2 coletado até 48 horas antes da data do evento.

Confira decreto na íntegra, clicando aqui.

Fonte: G1 Paraná

Covid-19: a importância dos dentistas nas UTIs

Covid-19: a importância dos dentistas nas UTIs

Estudos indicam que os cuidados odontológicos no hospital podem prevenir 56% das infecções respiratórias em pacientes em ventilação mecânica

Muitas vezes pensamos que os cirurgiões dentistas devem apenas atuar em salas clínicas ou no máximo estar vinculados em Universidades em áreas de pesquisa, dando aulas.

Porém, muitos desconhecem a grande importância e conhecimento que eles têm, principalmente na linha de frente das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), agora contra a Covid-19. Isto porque os cuidados com a saúde bucal dos pacientes desde a escovação e tratamentos mais complexos se tornou essencial na presença de infecções respiratórias, principalmente a pneumonia associada a ventilação (PAV), uma infecção pulmonar comum entre os que estão sob o uso de ventilador.

Estudos vêm confirmando que a pneumonia associada a ventilação já é um grande foco da Odontologia Hospitalar e que, nos casos da Covid-19, a replicação viral é ainda muito maior. Desta forma, entende-se a necessidade de uma higiene bucal mais frequente desses pacientes, já que ficam mais tempo nas UTIs (30 a 40 dias) e onde a chance de uma pneumonia bacteriana pode crescer ainda mais se não houver tais cuidados e atenção.

Dados indicam que os cuidados odontológicos pelos dentistas nas UTIs podem prevenir 56% das infecções respiratórias em pacientes em pacientes em ventilação mecânica, como a pneumonia, assim como o risco de agravamento por morte ao serem intubados aumentar em até 8,8 vezes mais naqueles pacientes com problemas periodontais graves (infecções mais severas nas gengivas).

Pode-se dizer que a qualidade da saúde bucal está diretamente ligada à progressão e ocorrências de outras doenças respiratórias, já que no meio bucal há a presença também de muitos microrganismos nocivos, como vírus, fungos e bactérias, aumentando em até 3 vezes as chances dessas pessoas com doenças periodontais serem intubadas ou internadas em decorrência da Covid-19, simplesmente pelo fato  de apresentarem essas” bolsas”, reservatórios para o vírus e sua possível disseminação para o sistema circulatório.

Outro estudo muito recente feito pelo Hospital das Clínicas de Porto Alegre com pacientes com Covid-19 confirmou a presença do vírus na placa bacteriana (biofilme dental). A pesquisadora e professora Sabrina Carvalho Gomes destaca que novas pesquisas estão sendo feitas para entender melhor esse achado, mas já podemos saber da grande importância em se manter os cuidados bucais em dia, com uso de uma boa escova, fio dental e em alguns casos a inclusão de enxaguatórios bucais para se conter o contágio e evolução da doença.

Há que se inserir a este contexto que os dentistas em UTIs ajudam a diminuir as complicações pela efetiva higienização diária, acolhendo e amenizando as dores desses pacientes e melhorando sua qualidade de vida.

Por fim, e por todas as evidências, não podemos ignorar a importância de ter esses profissionais em ambientes hospitalares, para juntos com outros profissionais da saúde, ou no combate a Covid-19 ou mesmo para se diminuir o tempo e custos de pacientes em UTIs, possam também ser imprescindíveis.

Saiba mais: https://grupoqualidadeemsaude.com.br/dentistas-contra-covid19/

Fonte: https://veja.abril.com.br/blog/letra-de-medico/covid-19-a-importancia-dos-dentistas-nas-utis/

HUBB Ergonomia – Cadeira Mocho Profissional (Editora Plena – distribuidor nacional).

HUBB Ergonomia – Cadeira Mocho Profissional (Editora Plena – distribuidor nacional).

Nossas cadeiras Sela Mocho Profissionais são criadas para pessoas exigentes que desejam maior qualidade de vida no trabalho. A HUBB conseguiu unir ergonomia, design e durabilidade em uma obra de arte aclamada por profissionais das mais diversas áreas.

*Condição especial assinantes Editora Plena

Compre agora mesmo!!!

WhatsApp (41) 3081-4052

Equipe Editora Plena.

REVISTA SIMMETRIA RECEBE INDEXAÇÃO INTERNACIONAL

REVISTA SIMMETRIA RECEBE INDEXAÇÃO INTERNACIONAL

A Editora Plena segue promovendo integração entre o melhor da Odontologia e as novas tendências, produzindo o melhor conteúdo do mercado odontológico.

E para brindar ainda mais o nível de excelência das publicações, a revista Simmetria Orofacial Harmonization in Science agora faz parte do banco de dados LATINDEX. Essa é mais uma forma de divulgação dos trabalhos publicados na revista para Universidades e Bibliotecas do mundo todo.

Nossa gratidão aos autores, que seguem contribuindo com envio de artigos científicos, e também nosso Conselho Científico, que não mede esforços para garantir a qualidade dos artigos a serem publicados.

É graças ao empenho de todos que alcançamos mais esta conquista.

Muito obrigado !!!

Equipe Editora Plena.

Prezados(as)!

Prezados(as)!

Neste ano de 2021, disponibilizamos uma novidade para facilitar o acesso ao Curso, agora você poderá comprar o curso completo ou apenas os módulos de seu interesse separadamente.

A 5ª Turma do Mini Residência reunirá os principais nomes da Ortodontia nacional. Curso de atualização profissional para especialistas sentem a necessidade de atualizar seus conhecimentos e buscam excelência.

Total de 6 (seis) módulos, aulas bimestrais nas sextas e sábados (manhã e tarde) aulas altamente qualificadas que apresentam diferentes filosofias e protocolos clínicos, alicerçados nos mais rigorosos padrões científicos.

Modalidades: presencial e On-line.

Atenciosamente,
Editora Plena

COMUNICADO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL ORTHO SCIENCE E 1º MEETING SIMMETRIA

Devido ao agravamento da pandemia da Covid-19, cujo o aumento no índice de taxa de casos positivos está resultando em recordes de mortes em todo o País, bem como a iminência do colapso do sistema público de saúde – já registrado no Estado do Paraná – em coletiva de imprensa realizada pelo Governador do Estado, Carlos Massa Junior, a Editora Plena está adiando, mais uma vez, o 3º Congresso Internacional Ortho Science e o 1º Meeting Simmetria, que seria realizado em Junho de 2021.

Após inúmeras reuniões e consultas questionando Estado e Município da possibilidade da realização efetiva do Congresso ainda para ano 2021 na data estabelecida dias 16,17,18 e 19 de Junho a resposta foi única. Diante de todo  cenário apresentado, seria irresponsável afirmar que a situação da saúde estaria resolvida e a  orientação é de cancelamento ou adiamento do evento.

Grandes desafios trazem grandes mudanças e visando respeito e comprometimento de mantermos a transparência com nossos patrocinadores, professores convidados,  congressistas, colaboradores,  a Editora Plena está remarcando para os dias 11 ( Pré Congresso), 12, 13  e 14 de Maio de 2022  3º Congresso Internacional Ortho Science  e o 1º  Meeting Simmetria dias 13 e 14 de Maio de 2022. Com as novas datas e com o plano de vacinação em andamento acreditamos que em 2022 a situação esteja mais tranquila e o atual cenário mais seguro e estável para que todos desfrutarem de um grande reencontro !

2022 promete reencontros incríveis e o que a gente mais espera é que em todos eles o sorriso esteja presente. E é com este sorriso que a gente vai se encontrar no 3º Congresso Internacional Ortho Science e 1º Meeting Simmetria para realização de mais um evento memorável de forma segura e mais agradável, sem  grandes  preocupações inerentes de um período pandêmico vivido por todos.

Agradecemos a compreensão  de todos e aguardamos você em 2022 para o 3º Congresso Internacional Ortho Science  e 1º Meeting Simmetria afinal você vai querer conhecer todas as inovações com uma grade de palestrantes de excelência que estão à frente das pesquisas e descobertas da área.

Equipe Editora Plena.